Sobre Nós

A ideia para realizar um programa diferente no meio rádio surgiu após um período alargado de ponderação (mais de 1 ano). Confrontado com a cada vez maior falta de espaços para música intimista, e com a desadequação dos poucos espaços que existiam, decide Tiago Pereira, o autor do programa, pensar em algo diferente.

Desde logo, e após uma aprofundada análise, o que ficou mais evidente foi a gritante falta de espaço para os acústicos na rádio. À excepção de nomes como Ed Sheeran e Mafalda Veiga, pouco mais artistas tinham espaço no meio rádio, e os poucos que tinham estavam profundamente formatados e descontextualizados. Entendendo que existe potencial relativamente a este tipo de música, não necessariamente em Português, foi decidido desde logo por fazer do Linhas Cruzadas um programa direcionado a temas acústicos.

No entanto, à medida que a ideia ia solidificando, outra ideia que ficou clara era a falta de interligação dos programas atuais em rádio. Muitos programas temáticos limitam-se a um único estilo de música, e não apostam – nem arriscam – nas fusões de estilos, no agrupar de vários estilos sonicamente aproximados, mas diversificantes, que ampliam horizontes e permitem curiosamente uma maior coerência e uma melhor identidade.

Se ninguém ouve jazz durante 2 horas seguidas, porque haverão os programas de emitir jazz, e só se cingir a isso, durante uma ou duas horas seguidas?

É também neste ponto que o programa Linhas Cruzadas é diferente de toda a concorrência: na sua génese. No Linhas Cruzadas, os acústicos são o ponto de contacto para bossa nova, neosoul… e não só. Semana após semana, a sequência e alinhamento de todos os temas é pensada logo após a sua seleção para que o conjunto final de programa seja harmonioso, lógico, coerente.

O locutor, neste programa, não é um mero “papagaio” que menciona as músicas que vieram e as que hão de vir. É uma peça integrante de toda a mecânica, parte indispensável do mesmo, e mais do que mera automação.

Através do timbre da voz, o locutor integra; através das palavras, acomoda e relaxa; através da explicação sobre os temas escutados e sobre caraterísticas do artista, completa e conduz.

Com uma roupagem dinâmica, uma sequenciação lógica, e com a divisão de programas por “episódios”, como num podcast, e subordinados a sonoridades específicas em cada semana, o Linhas Cruzadas traz diferença, integração e algo de novo: um cruzamento entre um podcast e um programa de autor para rádio.

Através das rádios locais que se associam ao projeto, com o seu número em constante expansão, procura-se uma cobertura ampla e algo mais específico: o contacto mais próximo com quem escuta. Também através dos demais parceiros, procura-se cumprido o objetivo final do programa: intimidade sem excessiva calma, diversidade sem afastamento dos públicos, naturalidade, e um apelo de proximidade.

Sobre o Autor

O autor, Tiago Pereira, é um radialista. Com 24 anos, iniciou a sua carreira na Rádio Corredor (Vila Nova de Gaia), entre 2010 e 2013, com apenas 15 anos. Depois, fez parte da SuperFM (2014) e da Rádio MEO Sudoeste (2017). É atualmente responsável pelo programa Linhas Cruzadas e é locutor na rádio Nove3Cinco (93.5 – Póvoa de Lanhoso), além de voz de estação na CardalFM (87.6 – Pombal). Faz também voz-off para vários spots, por todo o país.